Jornal O PODER

Seja bem-vindo ao Jornal O PODER

Política e Mercado

Notícias

04 de ago | Jornal O Poder

POLÍTICA - Magno Martins - BOLSONARO SEM ATAQUES

A primeira leva de propagandas eleitorais do presidente Jair Bolsonaro (PL) no rádio e na televisão será sobre obras e realizações em geral do governo. Muitas imagens do “Brasil grande” devem ser veiculadas e a campanha focará em conteúdo informativo para os eleitores saberem o que foi feito. A ideia de levar ao ar inserções menos combativas e mais propositivas partiu do QG de campanha em busca de “furar bolhas”, isto é, agregar votos daqueles que não estão convertidos ao bolsonarismo.

FILHO NA ARTICULAÇÃO
O QG do presidente Jair Bolsonaro (PL) —cúpula formada pelo Partido Liberal para viabilizar a reeleição do chefe do Executivo— é formado por 11 homens, dos quais sete são políticos, três publicitários e um empresário. O comitê se articula em uma mansão alugada pelo Partido Liberal no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, semanalmente às terças-feiras para recalibrar estratégias. Com mais quatro anos de mandato assegurados, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) é um dos principais articuladores do grupo.

SEM EMPOLGAÇÃO
Faltando dois meses para o 1º turno, as pesquisas mostram um roteiro modorrento da corrida eleitoral: Lula da Silva (PT) bateu no teto das intenções de voto, a avaliação do governo melhora vagarosamente, Jair Bolsonaro (PL) cresce de forma gradual e os demais candidatos têm pontuação desprezível. Nesse ritmo, a eleição vai para o 2º turno, quando Lula vence por 15 a 20 milhões de votos. É altamente provável que a campanha altere esse roteiro. Porém, a questão não é mais o que Bolsonaro pode fazer para virar o jogo, mas o que Lula pode fazer para perder. É só repetir o Rio de Janeiro.

LADO CERTO
Principal aposta do PSB na disputa à Câmara em São Paulo, a deputada Tabata Amaral teve uma longa reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) antes de anunciar o apoio ao petista na corrida presidencial. Tabata foi uma das principais vozes de oposição à entrada do PSB na federação composta por PT, PC do B e PV, o que de fato não se confirmou. Após o encontro com o ex-presidente e sua mulher, a socióloga Rosângela da Silva, a Janja, a deputada hoje se diz confortável aliada a ele. “Apoiar o Lula é sobre estar do lado certo”, disse.

MEGA SENA
Repetindo seus ataques ao sistema eleitoral brasileiro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a sugerir, hoje, que seja adotado um modelo de apuração de votos semelhante ao da Mega Sena de grande visibilidade. “Temos que nos preocupar” disse o presidente sobre as urnas durante reunião com pastores da Assembleia de Deus em São Paulo.

Postado em www.opoder.com.br