Jornal O PODER

Seja bem-vindo ao Jornal O PODER

Política e Mercado

Notícias

12 de mai | Antônio Magalhães

Mercado - Coluna de Antônio Magalhães - Marajás do BC podem tudo

Os marajás do Banco Central, com salários médios de R$ 26 mil por mês, conseguiram a adesão da diretoria do BC para reajustar os vencimentos em 22%, passando para uma média de R$ 32 mil. Eles queriam um aumento de 26%. Enquanto isso, a proposta para o resto do funcionalismo federal é de um reajuste de 5%.

GREVE DOS MILIONÁRIOS
Os “milionários” estão em greve desde 3 de maio. A paralisação tem afetado a publicação de diversos indicadores e relatórios macroeconômicos do BC, como o Boletim Focus, o IBC-Br (nível de atividade econômica) e as notas de estatísticas econômico-financeiras.

AUMENTO PARA TODOS. O PAÍS NÃO IMPORTA
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco disse que o Senado comunicou ao Executivo que é possível reajuste linear de 5% para os servidores da Casa. Segundo o presidente, a Casa Civil pediu uma manifestação do Legislativo sobre o aumento para o funcionalismo público. O Judiciário já aderiu aos 5% e agora só falta a Câmara dos Deputados. Os maiores assalariados ainda reclamam de barriga cheia.

MAC SENADO SEM FRITAS
Ocupadíssimo com o nada, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) comandou hoje uma audiência pública para avaliar as denúncia de propaganda enganosa na venda de sanduíches McPicanha e Whopper Costela pelas redes de fast food McDonald’s e Burger King.”Não estamos nos preocupando com um sanduíche, como muitos têm falado para nos criticar, mas atentos para o respeito à boa-fé dos cidadãos”, disse Nelsinho.

CRESCE O CONSUMO NOS LARES
O consumo nos lares brasileiros aumentou 2,59% no primeiro trimestre do ano, de acordo com o Índice Nacional de Consumo dos Lares Brasileiros da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), divulgado hoje pela entidade. A maior variação do consumo do trimestre foi registrada em março, com alta de 6,58% na comparação com fevereiro. Em relação a março de 2021, a alta é de 2,41%.

SEM GASTOS FORA DE CASA
Segundo o vice-presidente da Abras, Marcio Milan, a pesquisa mostrou ainda que as pessoas voltaram a reduzir o consumo fora de casa, cortando supérfluos para fazer o abastecimento com a renda, que está mais restrita. Além disso, reduziram-se as idas aos pontos de venda, com compras mais planejadas, aproveitando o momento de recebimento do salário.