Jornal O PODER

Seja bem-vindo ao Jornal O PODER

Política e Mercado

Notícias

12 de mai | Magno Martins

Política - Coluna de Magno Martins - O Start da chapa de Marília

A chapa do Solidariedade ao Governo de Pernambuco, liderada pela deputada Marília Arraes, começa a ser anunciada, oficialmente, na próxima segunda-feira, com a candidatura do deputado federal André de Paula, do PSD, ao Senado. Em outra etapa, o deputado federal Sebastião Oliveira, líder do Avante na Câmara, será confirmado como vice. Com Marília, a representação se dá pela Região Metropolitana, Sebastião, o Sertão, e André o Agreste.

DUDU EM SEGUIDA
Outro apoio importantíssimo ao projeto de Marília, o presidente estadual do PP, Dudu da Fonte, deve anunciar seu engajamento à campanha também na data em que Sebá, como é mais conhecido o líder do Avante, se pronunciar. A estratégia, acertada entre essas lideranças e Marília, é que os anúncios possam se dar numa sequência, que começou com o presidente do PROS, o ex-deputado federal Bruno Rodrigues, ligado a Dudu da Fonte.

FORA DOS DEBATES
O presidente Jair Bolsonaro (PL) segue decidido e não deve comparecer a nenhum debate no primeiro turno das eleições deste ano. Cogita participar de alguns em possível segundo turno. Se Bolsonaro não for, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acredita que viraria automaticamente vidraça: os demais candidatos iriam apenas para atacá-lo.

VOTO EVANGÉLICO
Jair Bolsonaro (PL) ganharia as eleições presidenciais de 2022 em primeiro turno se a disputa fosse realizada só entre evangélicos. O atual presidente tem mais do que o dobro (52%) das intenções de voto de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segmento (25%), mostra pesquisa PoderData realizada de 8 a 10 de maio de 2022.

BOLSA-FAMÍLIA
O mesmo levantamento mostra que quase metade (48%) dos beneficiários do programa Auxílio Brasil –substituto do Bolsa Família– declaram voto em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno das eleições de 2022. Nesse recorte, Jair Bolsonaro (PL) tem 29% das intenções. O desempenho do atual chefe do Executivo no segmento é inferior se comparado ao total da população –em que Bolsonaro tem 35% dos votos, e Lula, 42%.