Jornal O PODER

Seja bem-vindo ao Jornal O PODER

Política e Mercado

Notícias

27 de jan | Equipe O Poder

Reforma do Ensino Médio - Mendonça reage à proposta do PT

O ex-ministro da Educação, Mendonça Filho, reagiu indignado à proposta de adiar a implantação total da reforma do ensino médio para 2024, apresentada pela deputada federal Rosa Neide (PT/MT), e em tramitação na Câmara dos Deputados.

RETROCESSO NA EDUCAÇÃO
“Essa proposta é um retrocesso e total falta de compromisso com a educação e com o futuro dos nossos jovens”, afirmou. Ministro que fez a reforma do ensino médio, em 2017, Mendonça Filho diz que adiar a implementação do Novo Ensino Médio vai comprometer ainda mais uma geração de jovens, enredada em um sistema de baixa qualidade, com os piores resultados de aprendizagem da educação básica e que, com a pandemia, acumulou mais déficit educacional.

INTERESSE DO ALUNO PELO CONTEÚDO
Segundo Mendonça, 2022 é o ano do novo ensino médio e a Educação brasileira terá a oportunidade de dar um grande passo na caminhada para diminuir a distância entre a escola e o aluno, tornando o ensino médio mais próximo dos desejos dos jovens. “Sai de cena um modelo sem conexão escola/aluno, com altas taxas de evasão escolar. Entra o novo ensino médio apontando para o futuro: divisão de conteúdo por áreas de conhecimento, itinerário formativo, formação técnica e projeto de vida”, afirmou.

CINCO ANOS PARA ADAPTAÇÃO
Mendonça destaca que as redes de ensino tiveram o prazo de cinco anos para se adequar ao novo modelo de ensino. O ex-ministro reconhece que o processo de adaptação pelas redes de ensino enfrentou dificuldades de toda ordem, desde a pandemia, a mudanças no direcionamento no Ministério da Educação, disponibilidade de recursos e organização de redes. O que faz com que algumas redes estejam mais adiantadas e outras mais atrasadas.

MOBILIZAÇÃO DA SOCIEDADE
“A desigualdade na implementação é preocupante e exige uma grande mobilização da sociedade para garantir que o ensino chegue a todos os alunos de maneira igual. Ao invés de adiar, temos que juntar esforços para que todos os estados consigam implementar o Novo Ensino Médio, modelo de ensino que dialoga com o jovem, com suas expectativas de vida, suas vocações e as demandas profissionais do mercado de trabalho”, defendeu.

CRONOGRAMA
Mendonça lembra, ainda, que o cronograma definido pelo MEC estabelece que o novo ensino médio começará a ser implementado de forma progressiva, começando este ano pelo 1º ano do ensino médio. Em 2023, a implementação segue, com os 1ª e 2ª anos e, em 2024, o ciclo de implementação termina, com os três anos do ensino médio.